Como se vestir no inverno - Parte 3

, , 7 comments

Então, continuando... 

Parte 5 - A bota
Esse particularmente foi o item mais difícil da lista. Pra falar a verdade, o pé tem sido a parte do corpo que mais sente falta do calor Colatinense. É engraçado como quanto mais frio está, mais ele sua. Isso já acontecia no Brasil, quando eu estava no escritório com o ar-condicionado muito gelado, meu pé suava, não é doido isso? 

Mas pé suando numa sandalhinha a gente resolve fácil, né? Mas pé suar por aqui, minha gente, não significa uma possibilidade de chulé no final da tarde, mas sim perda total dos dedos! O que acontece é que se você estiver na rua e seu pé começar a suar, a meia vai molhar e consequentemente congelar o seu pé, e não adianta quantas meias você vai estar usando nem quanto boa é a bota, começou a resfriar corre pra um lugar quentinho, continuar exposto e com o pé na neve é muito arriscado mesmo. No ano passado, durante a Nuit Blanche (um evento anual que acontece durante toda a noite), meu pé começou a ficar frio, em poucos minutos eu perdi a sensação dos dedos, corremos para o metrô, foi horrível, até chorei... sniff.

Uma vez eu li em algum blog que se a bota for bonita, desconfie. E é verdade gente, pesquisando todas as qualidades e tecnologias que uma bota deveria ter, cheguei a conclusão que isso não combina com beleza. As botas costumam vir com umas etiquetas, identificando qual é a zona de conforto delas, geralmente variam entre -15 e -40, na verdade isso diz respeito a quantidade de isolamento e também deve ser considerado que essa zona de conforto está relacionada com um pézinho que está em movimento. Ficar parado no ponto esperando o ônibus não vale pra essa regra. O isolamento da bota e medido por gramas, que vão de 100 a 600 gramas, os materiais podem ser Thinsulate™, PrimaLoft®, Porlatec® ou Heatseeker. Tudo isso na verdade são marcas, se você pesquisar na internet vai ver que se trata de poliéster e lã de carneiro (como toda a demais indumentária).

O mais importante requisito na hora de comprar a bota é saber se ela é resistente a água. Tem que estar escrito lá "waterproof", pergunte da garantia (tem de 1 a 5 anos dependendo do fabricante). Para o dia-a-dia, uma bota precisa no mínimo de 6 polegadas (é a altura do cano da bota) isso impede que entre neve quando tiver muita neve na rua ou quando ela começar a derreter e ficar aquela raspadinha de limão na calçada. O cano da bota também precisa ser waterproof.

Existem muitas marcas no mercado. Eu mesma para escolher a minha, ia na loja, provava o modelos, caminhava, provava com aS meiaS e depois olhava na internet todos os reviews daquele modelo.

Eu também comprei a bota dois números maiores que o meu número, mas não decidi por 2 números e pronto, foi um longo processo. Mesmo provando o mesmo número, as botas ficavam diferentes no meu pé por causa dos modelos, então eu usei duas meias de lã bem felpudas para fazer os testes, eu queria uma bota que eu pudesse usar as meias e ainda ter uma folguinha. Eu li que todo mundo fazia isso e ainda por cima eu havia cismado que se tivesse um espacinho lá e que meus dedos não ficassem comprimidos contra a superfície da bota, eles não iam sentir frio e ainda teriam um espaço para criar uma camada de ar quente.

Marido escolheu um modelo da Timberland com 200 gramas de isolamento, eu uma da Columbia, com 400 gramas. De todas as vezes que minha bota precisou dar o melhor de si, depois de uma meia hora com o pé na neve paradinha eu comecei a sentir frio nos dedos. Mas isso é aleatório e eu não sei explicar porque nem como acontece. As vezes fico super bem e as vezes esfria muito. As vezes meu pé esfria, enquanto o do marido está normal, as vezes ele está com frio e o meu quentinho... É aleatório (ou eu ainda não descobri o segredo). O que eu aprendi até agora é que enquanto a gente está em movimento, a bota cumpre o seu papel.

Parte 6 - Os acessórios
Os acessórios são tão importantes quanto todo o resto. Se você usar o melhor casaco, a melhor calça e a melhor bota, mas deixar a cabeça desprotegida ou as mãos, todo o resto vai ser comprometido. Vamos começar pelos acessórios para a cabeça:

Gorro - o item mais importante dos acessórios! A cabeça é a parte do corpo onde perdemos mais calor. Ter um gorrinho faz toda a diferença. E eu recomendo que ele não seja furadinho, tipo de lã ou linha, a menos que tenha um forro, se não tiver, quando o vento bater, vai passar e não vai fazer diferença nenhuma estar com ele. Marido tinha um pouco de resistência em usar o dele, sempre que a gente saia ele não aguentava ficar muito tempo exposto, depois que ele resolveu usar, percebeu uma grande diferença. Proteger a orelha também é muito importante, as vezes a gente nem sente que ela está congelando... rsss. Para elas existem uns protetores, eu vejo muita gente usando eles por aqui. Eu não gosto muito daqueles protetores, tenho a sensação que a qualquer momento alguém vai dizer pra mim: "bem amigos da rede Globo". Mas eu tinha que dar um jeito no frio na orelha, então comprei um gorrinho estilo o chapéu do Chaves, ele protege a cabeça e as orelhas. No começo eu achava ridículo aquilo, mas depois de sentir muito frio nas orelhas, resolvi comprar um daqueles e me senti muito mais confortável.

Cachecol - Tem que proteger o pescoço, além de fazer as vezes de evitar que um ventinho geladinho indigesto entre pela gola do casaco resfriando seu corpo, protege o pescoço e evita uma doença também (palavras da minha mãe que tem uma filha que fica SEMPRE com a garganta inflamada).

Luvas - esse quesito merece destaque porque eu achei bem complexo, já testei umas 5 diferentes procurando a luva ideal. Uma amiga passou pelo mesmo problema e me disse que só conseguiu se sentir bem com luvas de esqui. Existem vários tipos de luvas. Mas basicamente as categorias são: dedinhos juntos, dedinhos separados. Eu achei as que ficam os dedos juntos (Mitt Gloves) as mais quente. Pra dizer a verdade o que realmente funcionou comigo, do tipo ficar com a mão quente mesmo, foi usar duas luvas, uma de veludo por baixo e outra do tipo dedos juntos por cima. Eu não consigo mover os dedos, claro, mas pelo menos fico quentinha... rsss. 

Talco - Sim, você precisa dele. E não estou dizendo isso por causa do chulé não, viu gente? Mesmo porque as botas vem com uma proteção antibacteriana justamente pra evitar isso (e funciona). O talco serve para ajudar absorver a umidade do pé e mantê-lo sequinho e quente por mais tempo. Marido sua muito e ficava com o pé gelado, ficar exposto por muito tempo era arriscadíssimo. Depois de muitas tentativas, descobrimos que para ele o melhor é o talco spray. Não sei qual é a mágica, mas funciona muito melhor do que o talco tradicional, apesar de não ser a solução completa e definitiva do problema (aquela história do aleatório). Temos pés doidos que suam com o frio, é isso, e se alguém tiver alguma dica, truque, mágica, simpatia, mandinga, banho de descarrego ou qualquer coisa que resolva o problema, compartilha com a gente!

Hidratante - Não dá pra ficar sem ele! Com o frio a pele fica esbranquiçada e muito ressecada, chega uma hora que começa a coçar ao ponto de machucar a pele e escamar. Isso serve para as meninas e para os meninos. É muito comum ver homens passando hidratante nas mãos e não olha com essa cara achando que o coitado está de bichismo. A coisa é séria, as mãos ficam super ressecadas, ao ponto da pele rachar. Acostume-se desde já com a ideia se não quer ter uma pele esbranquiçada, escamando ou com coceiras. E não é só a pele da mão que fica ruim, o rosto também precisa de cuidados. Mesmo quem tem a pele normal sofre com o frio. Eu geralmente uso dois tipos de hidratante, um para o corpo e outro para o rosto. O rosto precisa de um hidratante específico que se pode encontrar para cada tipo de pele. Eu não sou uma pessoa fresca, mas usar o hidratante para o corpo no rosto não funciona. Tem hidratantes específicos para as mãos também, mas não costumo usar, diferente do rosto, nas mãos o hidratante corporal funciona muito bem. Então do pescoço pra baixo uso um só. E quando eu digo do pescoço pra baixo, estou dizendo tudo, porque não são só as mãos e o rosto que ficam expostos que ficam ressecados, as partezinhas escondidas também ficam e antes que você pense besteira, quero lembrar que se tratando de inverno, tudo do pescoço pra baixo são partezinhas escondidas, tá? hahahahahaha. Então, hidratante no ombrinho, no bracinho, na perninha e na barriguinha também!

Protetor labial - meninos, tenham sempre em mãos uma manteiga da cacau. O frio castiga e os lábios ressecam, queimam, racham e ficam aquela coisa horrorosa, não deixe isso acontecer! Na farmácia tem de todos os preços, todas as marcas e até uns em formato de pomada, para os meninos mais machões. Para as meninas nem preciso falar, né? Nós temos batons, gloss, hidratantes e uma infinidade de cores e sabores para se deliciar e deixar os lábios longe do castigo do frio!

Ufa, bastante coisa até agora, né? Mas as dicas não terminam por aqui, no próximo post eu tenho mais dicas legais pra vocês. Não percam!

7 comentários:

  1. Nooosssaaaa, esse lance de morar perto de papai noel da trabalho einh! imagine ir ao banheiro? Afff

    ResponderExcluir
  2. Muito bom. Seus posts sao sempre divertidos e uteis. Nos adoramos. Obrigada por dividir conosco suas experiencias

    ResponderExcluir
  3. Dani, as vezes fico com uma preguiça danada de sair, pq sei que tem que vestir um mooooonte de roupa... rssss

    ResponderExcluir
  4. Obrigada Anna!

    Faço com muito carinho! Continue participando.

    Beijos

    ResponderExcluir
  5. Oi,

    Eu estou pensando em começar um processo de imigração pra montreal e queria saber e vc como é o trabalho ai, se é bom ou ruim, o meu marido é engenheiro civil e eu ainda nen me formei mas queria ir assim mesmo..
    Obrigada desde já
    Att, Mariana

    ResponderExcluir
  6. Vinicius (o do Sapo)21 de março de 2012 01:34

    Olha só...experiência de quem já passou frio..ehehehe..não tão severo, é verdade, mas um frio úmido que passa estas roupas 'de frio' sem vergonhas que temos no Brasil. Então, fiquei pensando sobre o que tu escreveu sobre os dedos dos pés esfriarem e de como isto é intermitente. A dica que dou é: preste atenção no que você comeu ou bebeu naquele dia em que o seu pé não ficou frio e no dia que ele ficou frio. Um principio básico que aprendemos no sul é que quando estamos mal alimentados o frio pega mais fácil. Isto porque o corpo vai irrigando menos as extremidades do corpo quando a oferta de calorias é menor. Ele reserva as calorias pra regiões estratégicas e vitais do corpo. Lembra do desenho daquele cachorro com o barrilzinho no pescoço usado para salvar pessoas? Pois é...aquilo é uma bebida bem forte, o que não necessariamente quer dizer alcool (até pq alcool é desaconselhado em casos de hipotermia) Esta bebida vai se tornar em caloria bem rápido também fazendo com que a pessoa retome o aquecimento corporal e talvez não perca nenhuma extremidade como as mãos ou dedos dos pés, ou até mesmo o pé. Então, muito provavelmente, num dia em que tu comeu aquele churrasco ou aquela macarronada, ou ainda aquele mega-hiper-chocolate quente é o dia que teus pés ficarão bem. No dia que tu comer aquele filé de peixe, fica em casa...ahahahhahahahaha

    ResponderExcluir
  7. Vinícius, vc não precisava se entregar, afinal, do US pra baixo, tudo é sul.... hahahahahahahaha

    Mas ó, pensando aqui, acho que vc tem toda a razão! Nós não mudamos a alimentação durante o inverno e eu perdi 2 kgs.

    Algumas vezes a gente levou chocolate, marshmallows e salsichas pra comer na fogueira e realmente a gente se sentiu muito bem! Com vinho então dá pra virar a noite com neve na canela! hahahahahahahahaha

    Exageros a parte, vou realmente prestar atenção nisso, principalmente com o pé, coitado...
    Mas agora só no próximo inverno!

    Bjs

    ResponderExcluir